Vendas do comércio capixaba registram alta em maio

Mesmo não recuperando todas as perdas, setor mostrou potencial de reação

Comércio Restrito. Em abril de 2020 as vendas do comércio capixaba restrito apresentaram alta de 16,6% em relação ao mês anterior. Na comparação com abril de 2019 ainda registrou queda de 7,3%.

Comércio Ampliado. No conceito ampliado, que inclui vendas de veículos, motocicletas, partes e peças e de material de construção, as vendas subiram 27,1% em relação ao mês anterior e queda de 13,4% frente a 2019.

Desempenho por atividades. Em relação ao ano passado, quatro dos dez segmentos pesquisados obtiveram variação positiva em maio de 2020, com destaque aos hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (+10,5%). O IBGE ainda não fornece os dados da comparação mensal, classificado por atividades.

A Fecomércio Espírito Santo avalia que as incertezas provocadas pela crise do novo Coronavírus levaram a uma rápida deterioração das condições atuais da economia e das empresas. De acordo com o presidente da Fecomércio, José Lino Sepulcri, isso se refletiu no “tombo” das vendas registrado para abril. “Ainda que a alta em maio não tenha sido suficiente para reverter o acumulado negativo no ano, observou-se que as medidas que foram sendo tomadas, como os auxílios, benefícios, flexibilizações ajudaram o setor, que mostrou seu potencial de reação em maio”, conclui Sepulcri.

Brasil

Comércio Restrito e Ampliado. No Brasil, o comércio restrito cresceu 13,9% em maio em relação a abril. Em relação a maio de 2019 houve queda de 7,2%. Já o comércio ampliado cresceu 19,6% na comparação mensal e caiu 14,9% em relação a 2019.

Unidades da Federação. Na passagem de abril para maio de 2020, houve resultados positivos nas 27 Unidades da Federação, com destaque para: Rondônia (36,8%), Paraná (20,0%) e Goiás (19,4%). Para a mesma comparação, no comércio varejista ampliado, a variação entre abril e maio obteve resultados positivos nas 27 Unidades da Federação, com destaque para: Rondônia (35,2%), Rio Grande do Sul (27,9%) e Espírito Santo (27,1%).

Comparando maio de 2020 com o mesmo mês em 2019, houve queda nas vendas do comércio em 23 Unidades da Federação, com destaque para: Amapá (-37,0%), Ceará (-30,4%) e Bahia (-20,8%). Para a mesma comparação, no comércio ampliado, a variação negativa se deu nas 27 Unidades da Federação, com destaque para: Amapá(-38,7%), Ceará (-31,3%) e Piauí (-31,0%).

Nota Técnica

Os dados da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) são disponibilizados mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A PMC tem por objetivo produzir indicadores que permitam acompanhar o comportamento conjuntural do comércio no País e nas Unidades da Federação a partir da receita bruta de revenda nas empresas formalmente constituídas, com 20 ou mais pessoas ocupadas, e cuja atividade principal é o comércio varejista. Os dados são divulgados com 2 (dois) meses de defasagem e poderão sofrer atualizações na divulgação seguinte. A análise dos dados do Espírito Santo é elaborada pela Assessoria Econômica da Fecomércio-ES.

Baixe a pesquisa completa e acesse os gráficos elaborados pela assessoria econômica da Fecomércio

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fique atualizado

Assine e receba nosso conteúdo em sua caixa de entrada.

Formulário Newsletter